Porto Alegre, 24 de Setembro de 2017

Artigos de Santa Teresa

Teresa escreve para homens e mulheres de todas as épocas e também de todas as religiões, comenta Luce López-Baralt. A santa de Ávila não tem receio em fundir ensinamentos cristãos com imagens islâmicas como a dos sete castelos, reelaborando em detalhe essa metáfora islâmica Por: Moisés SbardelottoUm embate entre linguagem e razão: a experiência mística – como no caso de Teresa de Jesus – “ultrapassa os limites da consciência e dos sentidos”. E Teresa “explicita sua impotência perante a linguagem, pois sabe muito bem que apenas pode dar uma ideia imprecisa do que, na realidade, lhe aconteceu além do espaço-tempo”, afirma Luce López-Baralt, professora emérita de literatura espanhola e comparada da Universidade de Porto Rico. Em entrevista concedida por e-mail à IHU On-Line, Luce afirma que a simbologia de Teresa traz traços marcantes da tradição islâmica e sufi. “A santa reelabora em detalhe a metáfora islâmica dos castelos, que costuma…
Teresa de Jesus figura na história como mulher de intensidades, determinação, inteligência, relações, criatividade, humor, afirma Lúcia Pedrosa de PáduaPor: Márcia Junges e Thamiris Magalhães Sem dúvida, Santa Teresa de Jesus inspira mulheres e homens, transforma vidas. Essa é uma das afirmações da teóloga Lúcia Pedrosa de Pádua, em entrevista concedida por e-mail à IHU On-Line. Para ela, sua influência “ultrapassa em muito os limites da Igreja. O interessante é que a recíproca também é verdadeira: quanto mais a mulher vai ocupando espaços na Igreja e na sociedade, mais Santa Teresa é admirada”. Pedrosa de Pádua frisa ainda que Teresa não exorta a servir à Igreja em abstrato, mas aos “homens e mulheres que a compõem, sempre sensível a tudo o que é humano”.Segundo a teóloga, o empenho, quase insistência, de Santa Teresa consiste em que seus leitores estabeleçam uma amizade com o Jesus dos Evangelhos. “Este Jesus que viveu,…
Através do amor, a mística de Teresa d'Ávila – a sua feliz contemplação, a sua oração – se torna uma ação e cria uma dinâmica de onde brota a caridade.A opinião é da romancista e jornalista francesa Christiane Rancé, em artigo publicado no jornal L'Osservatore Romano, 02-03-2015. A tradução é de Moisés Sbardelotto.Eis o texto.É difícil resumir a espiritualidade de Teresa d'Ávila, de tão rica e sutil. Mas o que se pode dizer, para apresentá-la, é que ela encontra a sua força na ação. Teresa de Jesus elaborou uma mística que respondia às urgências e aos perigos do seu tempo, e que se articula em torno de três polos: a sua iluminada compreensão da Encarnação e daquilo que ela envolve como resposta; a sua invenção – como se diz da descoberta de um tesouro – do centro da alma como residência de Deus; e, por fim, a oração como operação…
 Entrevista com Julia Kristeva"Eu encontrei Teresa – conta Julia Kristeva– a pedido de um editor: passei cerca de 10 anos com a monja espanhola extravagante, da qual eu recém-tinha ouvido falar, que se tornou para mim uma figura indispensável da cultura europeia. Fico feliz por ter encontrado, graças a ela, aquele impulso barroco que transformou o catolicismo medieval e abriu as portas para o humanismo do Iluminismo."A reportagem é de Cristiana Dobner, publicada no caderno Donne, Chiesa, Mondo, do jornal L'Osservatore Romano, 02-03-2015. A tradução é de Moisés Sbardelotto.Nota da IHU On-Line: Julia Kristeva, de origem búlgara naturalizada francesa, é uma estudiosa que atua entre linguística, psicanálise, filosofia e narrativa. Ensina semiologia na State University of New York e na Université Paris 7 – Denis Diderot. Entre os seus livros citamos Thérèse mon amour. Saite Thérèse d'Avila, Paris: Fayard, 2008, 749 pp. É presidente de honra do Conselho Nacional Handicap:…
Giselle Gómez apresenta uma leitura da mística de Teresa de Jesus pelo olhar feminino, capaz de transformar a experiência de religiosidade de todos os gêneros. Por: Márcia Junges e João Vitor Santos / Tradução: André Langer “(Teresa de Ávila) Viveu a ousadia de ir além dos espaços assinalados às mulheres, atrevendo-se a converter-se em mestra de espiritualidade.” É dessa Santa Teresa que Giselle Gómez fala em entrevista concedida por e-mail à IHU On-Line. Giselle revela a face revolucionária da mística, que subverte toda a lógica hierárquica — seja dentro ou fora da igreja — de uma época. Porém, traz à tona ainda a Teresa feminista. É ela quem revela que do lugar da mulher também se pode alcançar Deus. Que Ele está presente desde a divina vocação da mulher de gerar a prole até as tarefas menos nobres que lhe cabem, como limpar o chão que os varões e toda…
Rabi’a al-’Adawiyya introduziu no universo sufi a concepção de amor gratuito pelo Amado. Já Teresa abriu-se para o Mistério por meio de uma vida de oração, entendida como “vida de amizade com o Amado”, explica Carlos Frederico Barboza de SouzaPor: Moisés Sbardelotto Mulher ou homem: isso não importa para se “viver a experiência radical de encontro com o Mistério Profundo”. Para Carlos Frederico Barboza de Souza, professor da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – PUC Minas, “o que é primordial na vida mística é a capacidade de abertura, de receptividade e acolhimento ao Totalmente Outro, ao Mistério Absoluto que a tudo constitui. E para isso não importam questões de gênero”.Porém, é necessário “o desenvolvimento de novos paradigmas capazes de recuperar a singularidade – e de certa forma, sua irredutibilidade – da experiência dessas mulheres”, um verdadeiro “resgate da mística na perspectiva feminina”, defende, em entrevista por e-mail à IHU On-Line.Essa…
Entrevista especial com Lúcia Pedrosa-Pádua “Uma escritora moderna e humanista” que “não teme a liberdade e a autonomia”, mas, ao contrário, reconhece que “estas estão intrinsecamente relacionadas ao amor”: é assim que Lúcia Pedrosa-Pádua, professora de Teologia na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro – PUC-Rio, relata a pessoa de Teresa de Jesus (1515-1582), santa religiosa e escritora espanhola proclamada Doutora da Igreja pelo Papa Paulo VI.Para Lúcia, a subjetividade construída por Teresa é “integral e relacional”, manifestando-se já a partir do seu Livro da Vida, escrito em primeira pessoa. “Na conclusão do Castelo Interior aconselhará suas irmãs, nem mais nem menos, a entrar e passear em seus castelos interiores em qualquer hora, pois para isso não é necessária a licença das superioras! Teresa não teme a liberdade e a autonomia, ao contrário, estas estão intrinsecamente relacionadas ao amor”, explica.Por isso, devido à “filigrana de suas narrativas interiores”, alguns a…
"Teresa de Ávila testemunhou o sofrimento feminino numa Igreja que não valorizava os seus dons, então pôs-se a realizar mudanças. Como parte de suas reformas, escreveu um manual de oração ou, como eu gosto de pensar, um guia de sobrevivência feminista do século XVI", escreve Nicole Sotelo, em artigo publicado por National Catholic Reporter, 12-02-2015. A tradução é de Isaque Gomes Correa.Nicole Sotelo é autora do livro “Women Healing from Abuse: Meditations for Finding Peace”, publicado pela Paulist Press e coordena o sítio womenhealing.com/.Segundo ela, "Teresa exorta suas companheiras a acreditarem em suas próprias capacidades de reza e acesso a Deus. “Se alguém lhes dizer que a oração é perigosa, considerem esta pessoa o verdadeiro perigo e fujam dele”."A transformação da Igreja numa instituição onde verdadeiramente se valorizam as mulheres, no entanto, não está finalizada ainda - conclui Nicole Sotelo.  Quando o papa considera as mulheres “a cereja do bolo”…
Teresa de Jesus"Imaginava que poderia encontrar como educador um verdadeiro filósofo, que pudesse libertar um homem da insatisfação própria da época e lhe ensinasse novamente a ser, no pensamento e na vida, simples e sincero".F. Nietzsche Quando falamos de Teresa de Jesus, é preciso contextualiza-la em seu período histórico. Viveu entre a transição do feudalismo da Idade Média, onde a falta de conhecimento da natureza feminina causava medo na sociedade. A vida da mulher era marcada pela submissão, seu trabalho restringia-se aos cuidados da casa e a ela cabia uma única função: a de procriar. Na transição do feudalismo para o capitalismo, após muitas lutas, a mulher começou a conquistar seu espaço na sociedade. Teresa de Jesus viveu nesta época. Dentro do seu convento foi uma leitora assídua, mesmo que muitos livros lhe eram inacessíveis ou até mesmo proibidos. Sendo mulher, pra quem é fechado o mundo acadêmico, existe nela…
Luciana Barbosa expõe as relações entre mística, poesia e erotismo em Teresa de Ávila, a quem descreve como mulher apaixonada, ardentemente enamorada de Deus. Por: Márcia Junges e Andriolli Costa Mística e poesia possuem uma proximidade inegável. Ambas tratam de um tipo de mistério, buscam o inefável e o Absoluto ou, nas palavras da pesquisadora Luciana Ignachiti Barbosa, expressam “o que está mais recôndito nos sentimentos e pensamentos do homem”, atravessando de mãos dadas os limites da lógica e da razão. Neste sentido, ainda que não se considere apropriadamente uma escritora, a poesia é ponto chave na obra de Teresa de Ávila. Em entrevista por e-mail à IHU On-Line, Barbosa, que estuda a poética na obra da santa católica, afirma que é possível distinguir dois tipos de inspiração em sua obra: a de dimensão humana — da ordem da alegria, da festa, da paródia — e a de dimensão divina.…